Pular para o conteúdo principal

Jeremias 52 - Rei Joaquim

Imagine um povo escolhido e separado por Deus, mas deitado na cama do pecado. Essa era a situação do povo de Judá. O reino, antes dividido entre Norte e Sul, já havia presenciado a queda de Israel. Agora, Judá caminhava igualmente para a perdição.
O cativeiro babilônico já era iminente. Joaquim, o penultimo rei pré- exilico, fazia aquilo que era mal aos olhos do Senhor, assim como seu pai, Jeoaquim. Após reinar por apenas três meses, Joaquim, também conhecido como Jeconias, é levado juntamente com a corte de Judá para a Babilônia, como cativo de Nabucodonosor. Nessa mesma época, Daniel também é exilado.
A Palavra nos relata que o rei de Judá é lançado no cárcere e fica ali por 36 anos. Imagine a situação: um homem antes assentado em um trono, agora dentro de uma prisão, isolado de tudo e de todos. Por permissão de Deus, que estava disciplinando Seu povo, que se tornara rebelde. 
Não se sabe o que ocorreu durante estas quase quatro décadas de cárcere, mas no trigésimo sétimo ano do cativeiro de Joaquim, o rei Evil- Merodaque, filho e sucessor de Nabucodonosor, sobe ao trono. E logo em seguida, manda libertar o rei de Judá.
Não obstante já ter sido liberto, Jeconias é tratado com cortesia e cuidado pelo rei de Babilônia. Evil Merodaque lhe dá lugar de mais honra do que os outros reis que o apoiavam em seu reino. Quando que o rei de Judá poderia sonhar que, depois de sofrer tanto tempo no abandono do cárcere, seria honrado por um suposto inimigo ?
É assim que Deus faz. Confunde a lógica humana. O Senhor é imprevisível nas Suas ações. É possível conjecturar que ali, dentro da prisão, Joaquim refletiu sobre seus pecados, e se arrependeu. Aquele que se humilha, Deus ouve. E não importa a situação, Deus reverte o quadro.
A Bíblia diz que o rei muda as vestes de Joaquim. Mudança de vestes é mudança de vida. A vestimenta de prisioneiro dá lugar a vestimentas finas. Aquelas vestes do cárcere traziam lembranças tristes, de momentos sofridos. As vestes novas representavam novo tempo, honra da parte do Senhor.
Além de todas aquelas regalias, Jeconias também passa a comer na presença do rei e recebe pensão diária pelo resto de seus dias. Agora analise: essa história foi ou não escrita pela mão de Deus?
Joaquim se entregou ao inimigo, como o Senhor havia ordenado através do profeta Jeremias. Mesmo passando pela dor do cárcere, das  humilhações, ele foi abençoado. Quando Deus está no controle das nossas vidas, não importa pelo que iremos passar, a vitória é garantida.

Faça como o rei Joaquim. Creia no Senhor, e O obedeça. Pague o preço, sacrifique o que for, mas seja fiel a Deus. Assim, Ele a seu tempo te exaltará. Ele te libertará das dores, dos sofrimentos, mudará as tuas vestes!



Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

2 Reis 6 - Geazi e a cegueira espiritual

A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a PROVA DAS COISAS QUE NÃO SE VEM. As palavras de Hebreus 11:1 nos revelam que confiar em Deus é ir além do que a visão humana pode alcançar. É acreditar naquilo que nossos olhos não enxergam. 
Pois bem, em 2 Reis 6 narra-se um episódio em que o profeta Eliseu e seu moço estavam encurralados. Ben-Hadade, rei da Síria,  havia cercado a cidade de Samaria com seu exército.  Esse rei fazia guerra a Israel, porém Deus dava livramento ao povo através de Eliseu, revelando a ele as estratégias de Ben-Hadade (2 Rs 6:9,10). 
Diz a Palavra que o exército sírio cerca a cidade durante a noite. Às escuras, às escondidas, como todo inimigo faz. Assim é o nosso adversário, vem traiçoeiramente tentar nos afligir. Na manhã seguinte,  o moço levanta muito cedo e avista os carros e cavalos cercando a cidade. Imagine o desespero daquele rapaz! Um grande e poderoso exército ao seu redor, sem possibilidade de escape. 
Quando Geazi vira para Eliseu e pergun…

Isaías 39 - O inimigo bate à porta

Formar vínculos de amizade é algo bom e agradável. Mas há que tomar cuidado com aqueles que, aparentemente "inofensivos", vêm bater na nossa porta. Essa precaução transcende a vida social. No âmbito espiritual, nós cristãos precisamos estar atentos aos INVASORES, cujo objetivo principal é desestruturar a nossa casa.
O rei Ezequias de Judá era um homem temente a Deus, que andava retamente diante do Senhor. Ele já havia vivido um grande livramento de morte, pois Deus lhe acrescentara 15 anos de vida. Também, no reinado do filho de Acaz, o reino de Judá se viu livre da dominação assíria, pois Deus destruíra o exército de Senaqueribe.
Agora, o rei gozava dias de paz prometidos e garantidos pelo Senhor. Mas eis que Ezequias recebe uma "ilustre" visita. O rei da Babilônia, Merodaque- Baladã, envia uma comitiva ao encontro do rei de Judá com cartas e um presente, porque havia ouvido que ele estivera doente. Um ato aparentemente normal, e até louvável.
Ezequias se alegrou c…

1 Samuel 15 - A desobediência de Saul e a rejeição da parte de Deus

A obediência a Deus é a chave da vitória, do êxito. Saul sentiu isso na pele ao querer fazer sua vontade em contraposição à do Senhor. Como resultado, o até então rei de Israel perde sua coroa e começa a viver em declínio constante, até sua morte.
Saul fora ungido pelo profeta Samuel por ordem de Deus. Afinal, o povo de Israel pedia insistentemente um rei. O Senhor atende o pedido, e os israelitas começam a viver o período monárquico.
Em um determinado momento, Deus dá uma ordenança à Saul, para que ele destrua os amalequitas. Amaleque se fez inimigo de Israel quando este subia do Egito. O Senhor é claro quando diz ao rei de Israel:  "... fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo que tiver..." (v.3)
Saul arma emboscada contra os amalequitas, e prevalece contra eles. PORÉM, o rei mantém vivo Agague, rei de Amaleque e, não sendo o bastante, também conserva o melhor das ovelhas, vacas, cordeiros e tudo o que havia de melhor em Amaleque. Tão somente as coisas vis e desprezíveis …