terça-feira, 22 de julho de 2014

Ezequiel 3 - a missão do atalaia

O profeta Ezequiel foi encarregado de ser boca de Deus num momento crítico da história de Israel - tempo do exílio babilônico. Ele vivia junto ao rio Quebar, situado a uma pequena distância do rio Eufrates. Historiadores afirmam que Ezequiel começa a profetizar aos 30 anos de idade, e por mais de vinte anos desempenha o papel que o Senhor lhe havia dado.

O povo de Deus vivia um estágio de apatia e até de desesperança, vivendo numa terra estranha. O Senhor já havia advertido os Seus através das duras profecias de Jeremias,e nunca havia ocultado que o jugo babilônico era resultado da desobediência de Israel. 

Pois bem, vivendo agora a realidade do cativeiro, morando à beira do rio que cortava a cidade de Babilônia, Ezequiel se vê eleito por Deus para lhe servir de atalaia. Note que Ezequiel estava num ponto estratégico da terra - o rio que cortava a cidade, e também estava no meio dos cativos - pessoas que talvez estivessem com os piores pensamentos possíveis. Nesse contexto de desespero o Senhor revela Sua glória ao homem.

Você já parou para analisar que nas horas de mais aperto, nós ficamos mais sensíveis à voz do Todo Poderoso? Quando vai tudo bem, alguns se esquecem dEle - infelizmente.

No capítulo 3 em especial, Deus ordena que Ezequiel coma um rolo, que contém tudo aquilo que o Pai quer que Seu povo ouça. Quando Ele diz:" Filho do homem, dá de comer ao teu ventre, e enche as tuas entranhas deste rolo que eu te dou", Deus nos revela que a nossa boca tem que ser a boca dEle. Como se o Senhor dissesse: "Ezequiel, você vai dizer o que Eu mandar,apenas." Recado para os profetas: é o que Deus mandou dizer, não o que VOCÊ queria que Ele dissesse ..

Talvez a imagem daquele rolo tenha impressionado ou até assustado Ezequiel. Nunca ele pensaria que Deus lhe daria um alimento como aquele. Há momentos em que não entendemos o alimento que o Senhor nos dá, o porquê daquilo que Ele nos revela. Mas assim como ocorreu com o profeta, quando ele provou daquele alimento, na sua boca pareceu-lhe doce como mel. Assim é a palavra poderosa do Pai, no início nos parece dura, difícil, além da nossa compreensão, mas o fim dela é doce, seu propósito é firme e certo.

Ezequiel tinha uma missão divina, e ia deparar com um povo de dura cerviz. Mas como Deus não tem como objetivo agradar e sim CORRIGIR QUEM AMA, Ele diz: " E lhes falarás e lhes dirás: Assim diz o Senhor DEUS, quer ouçam quer deixem de ouvir." Seja atalaia, não tendo medo de falar o que Deus te ordenar.  Seja atalaia, não buscando agradar a homens, mas ao Pai. Seja atalaia, para pregar BENÇÃO e DISCIPLINA, segundo a vontade daquele que te chamou.






quinta-feira, 10 de julho de 2014

2 Reis 6 - Geazi e a cegueira espiritual

A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a PROVA DAS COISAS QUE NÃO SE VEM. As palavras de Hebreus 11:1 nos revelam que confiar em Deus é ir além do que a visão humana pode alcançar. É acreditar naquilo que nossos olhos não enxergam. 

Pois bem, em 2 Reis 6 narra-se um episódio em que o profeta Eliseu e seu moço estavam encurralados. Ben-Hadade, rei da Síria,  havia cercado a cidade de Samaria com seu exército.  Esse rei fazia guerra a Israel, porém Deus dava livramento ao povo através de Eliseu, revelando a ele as estratégias de Ben-Hadade (2 Rs 6:9,10). 

Diz a Palavra que o exército sírio cerca a cidade durante a noite. Às escuras, às escondidas, como todo inimigo faz. Assim é o nosso adversário, vem traiçoeiramente tentar nos afligir. Na manhã seguinte,  o moço levanta muito cedo e avista os carros e cavalos cercando a cidade. Imagine o desespero daquele rapaz! Um grande e poderoso exército ao seu redor, sem possibilidade de escape. 

Quando Geazi vira para Eliseu e pergunta o que eles iriam fazer, demonstra que ele se sentia impotente diante daquela situação, e recorreu a Eliseu ansiando talvez uma solução, um conselho da parte de seu senhor. Eu imagino com que calma e tranquilidade o profeta responde ao moço:  "Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles."

Geazi não deve ter entendido nada. Como seriam mais os que estavam com eles, já que ele só enxergava Eliseu ao seu lado e do outro lado um grande exército. Talvez o moço poderia pensar que o profeta estivesse "delirando". Geazi não compreendia que a calma de Eliseu vinha da confiança que ele tinha em seu Deus. E mais do que isso: o moço não conseguia ver, vislumbrar o agir de Deus em favor do seu servo.

Eliseu, vendo a aflição de seu moço, clama a Deus que abra os olhos de Geazi, para que ele visse. Geazi precisava ver com seus olhos espirituais, que ainda não haviam sido abertos.

No nosso cotidiano, nos deparamos com muitas pessoas (e cristãos) CEGOS. Não conseguem ver a mão de Deus em nada nem ninguém. Preferem se desesperar, preferem murmurar. Estão como Geazi, incrédulos. Precisam tirar as escamas de seus olhos, como aconteceu com Paulo. Deus quer abrir a nossa visão, para que possamos descansar nEle mesmo nas situações mais difíceis. 

Quando o moço teve sua visão espiritual aberta, ele viu o monte cheio de cavalos e carros de fogo. Ele descobriu que o Deus de Israel, a quem Eliseu servia, agia com poder pelo seu povo.  Geazi viu o sobrenatural, o impossível que Deus estava fazendo naquele momento.

Nunca se esqueça: maior é o que está conosco! Abra teus olhos da fé e contemple Deus agindo sempre por você em todos os momentos.