segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Isaías 36 - Senaqueribe, um rei envaidecido

Isaías 36, assim como 2 Reis 18 ou 2 Crônicas 32  contam um incrível episódio na história de Judá.
Ezequias estava no trono, e ele, ao contrário de seu pai, Acaz, andava retamente nos caminhos do Senhor. Mas seu reino era objeto de cobiça diante do império em destaque da época - a temida Assíria. 

É aí que entramos na história de Senaqueribe. Um líder que, acostumado a muitas vitórias, já havia conquistado muitos territórios por onde seu exército havia passado. E ele tinha a convicção de que no caso do pequeno reino de Judá não seria diferente.

Cheio de soberba, Senaqueribe manda seu subordinado Rabsaqué afrontar o rei Ezequias e todo o povo de Deus.  O maior erro do rei assírio foi comparar os deuses das nações conquistadas por ele ao Santo de Israel. E por estar obstinado a tocar na "menina dos olhos de Deus", Senaqueribe assina sua sentença de morte.

Pela ótica humana, Judá não teria nenhuma chance contra o poderoso e temido exército da Assíria. Mas, quem protegia aquele povo não era humano, mortal ou falível. Mesmo sem nenhuma saída à vista, o rei Ezequias não se deixou abater. Clamou ao Senhor, juntamente com o profeta Isaías, pedindo o escape.

Rabsaqué ofendeu não a Ezequias ou ao povo, mas Àquele que estava com Judá, o Guarda de Israel. Podemos então imaginar um final de derrota para Senaqueribe. Mas não foi simplesmente uma queda em campo de batalha.

A Bíblia nos fala que , estando acampado o exército assírio prestes a invadir Jerusalém, eis que o Anjo do Senhor veio contra eles e feriu 180 mil no arraial. Judá não conseguiria vencer a Assíria na peleja, mas o próprio Senhor interferiu na história de maneira sobrenatural. Esse foi o resultado de um clamor forte de um rei fiel e íntegro perante seu Deus.

Quantas vezes vemos pessoas que, como Senaqueribe, batem no peito e se dizem invencíveis. Até desacreditam daquilo que Deus possa fazer, ou debocham das promessas dEle para nossas vidas. Sim, há indivíduos imergidos em soberba, que nem dão ouvidos à voz do Senhor, se achando auto-suficientes. Nós precisamos reconhecer que somos pó, e sem Deus, nada podemos fazer. Precisamos ser sempre dependentes dEle.

Que possamos confiar inteiramente no nosso Deus. Não importa se o mundo não acreditar em nosso potencial, devemos nos manter firmes nas promessas do Senhor! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário