Pular para o conteúdo principal

Você tem valor! - Lc 12: 6,7

Em situações difíceis que passamos pela vida, normalmente vem toda sorte de pensamentos negativos sobre nós. E muitas vezes nos deparamos com a seguinte dúvida: "Será que Deus está me vendo?" Sim, até mesmo quem professa ser Cristão pode se pegar dizendo:"Deus me esqueceu!"

Certa vez, Jesus começava a ensinar seus discípulos acerca do "fermento dos fariseus", que era a hipocrisia. Para quem não sabe, os pertencentes a essa vertente do judaísmo se destacavam pelo forte apego à liturgia. Diz-se que se preocupavam em orar e jejuar em público, como se quisessem "escancarar sua santidade" à vista de todos.

O Mestre procurava instruir os seus seguidores acerca do que estava por trás das aparências. Porque o Senhor estava olhando para as coisas encobertas. (v.2)  E justamente por atentar para a sinceridade do coração do homem, Jesus revelava que todos estavam de igual modo "transparentes" aos olhos do Todo Poderoso.  

No verso 6 Jesus cita uma ave que era comercializada por preço baixíssimo naquela época: o pardal. A ave, que mede cerca de 15 centímetros apenas,  é uma das mais comuns do mundo. Cinco pardais custavam dois asses. Cada asse (moeda romana de cobre, que valia 1/16 do denário), trazendo para a moeda atual, valia pouco mais de 1 real. Imagine só como era fácil adquirir pardais? 

Não é a toa que a Palavra faz menção dessas aves. Nada que está escrito nela é por acaso. Cristo disse que nem mesmo esses pardais, que custavam  tão pouco e eram tão comuns, estavam esquecidos diante de Deus.  Para mostrar o valor do ser humano para o Pai Celestial, Jesus completou dizendo: " Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais! Bem mais valeis do que muitos pardais!" (v.7)

Algumas características do pardal nós podemos destacar aqui: ele é uma ave que está em quase todo o planeta, e se adapta ao inverno e verão, mudando a cor do bico e da plumagem. Também faz seu ninho em qualquer lugar. Assim devemos ser também, nos adaptarmos às diferentes situações, principalmente às difíceis, continuando firmes na Rocha, na Pedra Angular. 

A ave é considerada gregária, isto é, se agrupa em sociedade, visando a proteção daqueles que formam o grupo. Assim somos nós como Igreja, como Unidade, como Corpo de Cristo: devemos nos ajudar, nos sustentar. Bom e suave é que vivamos em UNIÃO (Sl 133.1). 

Aqui no Brasil, o pardal foi inserido intencionalmente para combater insetos transmissíveis de doenças. Nós, como cristãos, temos a missão aqui de propagar o Evangelho e combater o mal através da manifestação do poder de Deus em nós. Ele não nos chamou por acaso. Ele nos escolheu, e não nós a Ele. Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum."  (Lc 10:19) 

Uma última informação sobre essa ave que tanto tem a nos ensinar: o macho dorme na parte mais alta da árvore, ficando assim mais protegido dos predadores. Enquanto estivermos debaixo da sombra do Onipotente, abrigados na Videira Verdadeira, mal nenhum poderá nos alcançar (Jo 15). Quando mais nos apegamos a Cristo, mais nos desapegamos do mundo.

Você ainda tem dúvida de que é importante para Deus? Independente da sua resposta, acho que isto vai acalmar de vez o teu coração:


" Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."  (Jo 3:16)




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

2 Reis 6 - Geazi e a cegueira espiritual

A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a PROVA DAS COISAS QUE NÃO SE VEM. As palavras de Hebreus 11:1 nos revelam que confiar em Deus é ir além do que a visão humana pode alcançar. É acreditar naquilo que nossos olhos não enxergam. 
Pois bem, em 2 Reis 6 narra-se um episódio em que o profeta Eliseu e seu moço estavam encurralados. Ben-Hadade, rei da Síria,  havia cercado a cidade de Samaria com seu exército.  Esse rei fazia guerra a Israel, porém Deus dava livramento ao povo através de Eliseu, revelando a ele as estratégias de Ben-Hadade (2 Rs 6:9,10). 
Diz a Palavra que o exército sírio cerca a cidade durante a noite. Às escuras, às escondidas, como todo inimigo faz. Assim é o nosso adversário, vem traiçoeiramente tentar nos afligir. Na manhã seguinte,  o moço levanta muito cedo e avista os carros e cavalos cercando a cidade. Imagine o desespero daquele rapaz! Um grande e poderoso exército ao seu redor, sem possibilidade de escape. 
Quando Geazi vira para Eliseu e pergun…

Isaías 39 - O inimigo bate à porta

Formar vínculos de amizade é algo bom e agradável. Mas há que tomar cuidado com aqueles que, aparentemente "inofensivos", vêm bater na nossa porta. Essa precaução transcende a vida social. No âmbito espiritual, nós cristãos precisamos estar atentos aos INVASORES, cujo objetivo principal é desestruturar a nossa casa.
O rei Ezequias de Judá era um homem temente a Deus, que andava retamente diante do Senhor. Ele já havia vivido um grande livramento de morte, pois Deus lhe acrescentara 15 anos de vida. Também, no reinado do filho de Acaz, o reino de Judá se viu livre da dominação assíria, pois Deus destruíra o exército de Senaqueribe.
Agora, o rei gozava dias de paz prometidos e garantidos pelo Senhor. Mas eis que Ezequias recebe uma "ilustre" visita. O rei da Babilônia, Merodaque- Baladã, envia uma comitiva ao encontro do rei de Judá com cartas e um presente, porque havia ouvido que ele estivera doente. Um ato aparentemente normal, e até louvável.
Ezequias se alegrou c…

1 Samuel 15 - A desobediência de Saul e a rejeição da parte de Deus

A obediência a Deus é a chave da vitória, do êxito. Saul sentiu isso na pele ao querer fazer sua vontade em contraposição à do Senhor. Como resultado, o até então rei de Israel perde sua coroa e começa a viver em declínio constante, até sua morte.
Saul fora ungido pelo profeta Samuel por ordem de Deus. Afinal, o povo de Israel pedia insistentemente um rei. O Senhor atende o pedido, e os israelitas começam a viver o período monárquico.
Em um determinado momento, Deus dá uma ordenança à Saul, para que ele destrua os amalequitas. Amaleque se fez inimigo de Israel quando este subia do Egito. O Senhor é claro quando diz ao rei de Israel:  "... fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo que tiver..." (v.3)
Saul arma emboscada contra os amalequitas, e prevalece contra eles. PORÉM, o rei mantém vivo Agague, rei de Amaleque e, não sendo o bastante, também conserva o melhor das ovelhas, vacas, cordeiros e tudo o que havia de melhor em Amaleque. Tão somente as coisas vis e desprezíveis …