terça-feira, 26 de novembro de 2013

Oseias 13.5 - A necessidade de viver o deserto

Quando se fala em deserto, logo pensamos em seca, em escassez, em privação. Mas poucos reconhecem o deserto como algo desejável, um momento pelo qual todos nós devemos passar.

O profeta Oseias tem uma trajetória peculiar. Ele profetizava acerca da destruição e posterior restauração do Reino do Norte (Israel).  O homem de Deus toma por mulher a Gômer, uma prostituta. Essa união ordenada por Deus simbolizava a relação de infidelidade entre Israel para com seu Deus, ao se render à idolatria.

Oseias profetizou nos dias do rei Jeroboão II, de Israel. Nessa época, a prosperidade do reino certamente mantinha o povo tranquilo, sob a farsa da estabilidade. Mas os olhos do Senhor estavam sobre eles, prestes a enviar-lhes a paga pelas suas transgressões.

Israel se prostituía com deuses estranhos. Nos nossos dias, vemos que muitos cristãos, ao dar vez à carne, acabam por se prostituir com o mundo: dão as costas para a vontade de Deus, deixando-se enredar pelo pecado. Mas os olhos do Senhor estão sobre eles, e Sua voz os chama ao arrependimento.

Baseando-nos no versículo-chave, que diz: " Eu te conheci no deserto, em terra muito seca", podemos ver Deus falando com Seu povo. Ele está afirmando que o deserto foi uma fase de "conhecimento". Ora, o Senhor havia permitido o deserto ao povo israelita depois de sair do Egito. Foram 40 anos de "andanças" até a tomada da Terra Prometida. 

Mas por que Deus afirma que conheceu Seu povo no deserto? Sabemos que Israel por vezes murmurou pela sua "estada" no deserto. Até ansiou voltar para a escravidão de Faraó. Porém, Deus jamais desamparava o povo, pois não lhes acabaram as vestes, nem os calçados, nem tampouco alimentos e água. O Senhor supriu a necessidade deles. 

Porém Israel era "difícil" de agradar. Assim acontece conosco hoje. Deus faz tanto por nós, e em vez de agradecermos, pedimos mais ou murmuramos. Reclamamos de mínimas coisas. Deus experimentou seu povo no deserto. Porque é no momento de dificuldade, de privações que nós mostramos quem realmente somos.

Israel, frente aos percalços, já abria a boca para reclamar. Mas será que não reconhecia o que seu Deus já havia feito, a passagem extraordinária no meio do mar? 

Por isso é que o Senhor nos conhece , nos prova no deserto. No deserto, as máscaras caem. No deserto, Ele vê se somos adoradores ou murmuradores. No deserto, Ele conhece se somos crentes mesmo ou é "só conversa".

Passe pelo deserto sem reclamar. Porque é Deus quem te guia no meio dessa sequidão, em que você olha pros lados e não vê nada. Ele providencia maná do céu, água pra saciar tua sede. O Senhor jamais desampara aquele que está sob Sua destra fiel!



3 comentários:

  1. Excelente texto, que Deus continue te inspirando e através da sua vida possa edificar muitas pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, nos cristãos realmente precisamos entender que os desertos da vida não nos priva do Senhor da vida.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo texto, nos cristãos realmente precisamos entender que os desertos da vida não nos priva do Senhor da vida.

    ResponderExcluir