Pular para o conteúdo principal

Atos 12 - Pedro livre da prisão

Após a ascensão de Cristo, começa o crescimento e expansão da igreja. O livro de Atos fala da continuação da missão dos discípulos de Jesus, narrando a descida do Espírito Santo e, em especial, destacando a trajetória de dois homens que foram peças - chave na divulgação e propagação dos ensinamentos cristãos: Pedro e Paulo.

Vamos nos ater ao primeiro, sobre o qual o  Mestre dissera: " Sobre esta pedra edificarei minha igreja". O Pedro que havia levantado a mão contra Malco e que negara a Jesus por três vezes não existia mais. O discípulo "sangue quente" agora estava cumprindo o ide com mais força e intensidade do que nunca, já que Cristo  não estava mais na Terra e o mesmo havia o aprovado "como pastor de suas ovelhas".

Em Atos 12, Pedro está preso por ordem de Herodes, rei que queria agradar os judeus maltratando os seguidores de Cristo. Tiago, irmão de João, havia sido morto pelo rei, e temia-se que o destino de Simão Pedro fosse idêntico ao de seu companheiro. 

Pedro estava sob vigilância de 16 soldados, ou seja, era segurança máxima. Herodes queria apresenta-lo depois da Páscoa. Vale ressaltar que era costume entre os judeus libertar um preso durante a Páscoa. Com isso, podemos presumir que Herodes quisesse que Pedro tivesse o mesmo destino de Jesus, apresentado também ao povo durante a Páscoa e disputando a "liberdade" com Barrabás.

Mesmo guardado na prisão e, para a maioria, sem expectativa de salvação, Pedro tinha uma arma poderosa a seu favor:  a oração da igreja por ele, que era constante. A igreja estava unida no objetivo comum de interceder pelo servo de Cristo que estava em aperto. Quando a igreja se une em um só clamor, em sintonia e harmonia, Deus HONRA SUA FÉ.

A Bíblia diz que na mesma noite em que Pedro iria ser apresentado ao povo, estava ele dormindo entre dois soldados quando lhe apareceu o anjo do Senhor.  Um fato que me impressiona: Pedro estava dormindo. Imagine, aquele homem estava prestes a ser morto, mas ele estava dormindo, repousando entre soldados. Vemos que esse é um sinal de que Pedro descansava no Senhor e sabia que tudo estava no controle dEle. 

O anjo deu ordens a Pedro. Primeiro, disse: "Levanta-te!"  É necessário estarmos em pés, a postos pra cumprir o querer do Senhor. Segunda ordem: "Cinge-te." Cingir é vestir-se, preparar-se. O que estava por vir era forte, era preciso um preparo, um cuidado. Depois, o anjo diz: " Segue-me". Toda ordem que Deus nos dá tem como objetivo o seguir Seus passos e instruções, ter Ele como referência por toda a nossa vida.

Pedro estava atônito. Fez tudo que o anjo lhe pedira, mas achava que era uma visão, algo irreal. Conosco também é assim: Deus nos dá um direção que nos parece tão improvável e acabamos por achar que não passa de um sonho. O Senhor quer nos revelar a Sua glória e nós mesmos duvidamos pela nossa visão limitada.

Depois que passaram pela primeira e segunda guarda, eles chegam ao portão de ferro que dá para a cidade. Até ali, imagino que Pedro estava confuso imaginando se seriam ou não reais aqueles momentos. Ele havia passado por todos os guardas, aquilo era impossível. Pedro não podia acreditar. Finalmente, o portão de ferro se abre, a última barreira que impedia aquele homem de ter sua liberdade. Já na rua, o anjo de Deus se aparta de Pedro e ele então cai em si: estava livre! Aí o servo de Cristo reconhece a providência do céu sobre sua vida, o que é comprovado por suas próprias palavras: "Agora sei verdadeiramente que o Senhor enviou o seu anjo, e me livrou da mão de Herodes... "  

Deus LIVRA. Deus AMPARA. Deus PROVIDENCIA. Nunca se esqueça: Deus é DEUS!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

2 Reis 6 - Geazi e a cegueira espiritual

A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a PROVA DAS COISAS QUE NÃO SE VEM. As palavras de Hebreus 11:1 nos revelam que confiar em Deus é ir além do que a visão humana pode alcançar. É acreditar naquilo que nossos olhos não enxergam. 
Pois bem, em 2 Reis 6 narra-se um episódio em que o profeta Eliseu e seu moço estavam encurralados. Ben-Hadade, rei da Síria,  havia cercado a cidade de Samaria com seu exército.  Esse rei fazia guerra a Israel, porém Deus dava livramento ao povo através de Eliseu, revelando a ele as estratégias de Ben-Hadade (2 Rs 6:9,10). 
Diz a Palavra que o exército sírio cerca a cidade durante a noite. Às escuras, às escondidas, como todo inimigo faz. Assim é o nosso adversário, vem traiçoeiramente tentar nos afligir. Na manhã seguinte,  o moço levanta muito cedo e avista os carros e cavalos cercando a cidade. Imagine o desespero daquele rapaz! Um grande e poderoso exército ao seu redor, sem possibilidade de escape. 
Quando Geazi vira para Eliseu e pergun…

Isaías 39 - O inimigo bate à porta

Formar vínculos de amizade é algo bom e agradável. Mas há que tomar cuidado com aqueles que, aparentemente "inofensivos", vêm bater na nossa porta. Essa precaução transcende a vida social. No âmbito espiritual, nós cristãos precisamos estar atentos aos INVASORES, cujo objetivo principal é desestruturar a nossa casa.
O rei Ezequias de Judá era um homem temente a Deus, que andava retamente diante do Senhor. Ele já havia vivido um grande livramento de morte, pois Deus lhe acrescentara 15 anos de vida. Também, no reinado do filho de Acaz, o reino de Judá se viu livre da dominação assíria, pois Deus destruíra o exército de Senaqueribe.
Agora, o rei gozava dias de paz prometidos e garantidos pelo Senhor. Mas eis que Ezequias recebe uma "ilustre" visita. O rei da Babilônia, Merodaque- Baladã, envia uma comitiva ao encontro do rei de Judá com cartas e um presente, porque havia ouvido que ele estivera doente. Um ato aparentemente normal, e até louvável.
Ezequias se alegrou c…

1 Samuel 15 - A desobediência de Saul e a rejeição da parte de Deus

A obediência a Deus é a chave da vitória, do êxito. Saul sentiu isso na pele ao querer fazer sua vontade em contraposição à do Senhor. Como resultado, o até então rei de Israel perde sua coroa e começa a viver em declínio constante, até sua morte.
Saul fora ungido pelo profeta Samuel por ordem de Deus. Afinal, o povo de Israel pedia insistentemente um rei. O Senhor atende o pedido, e os israelitas começam a viver o período monárquico.
Em um determinado momento, Deus dá uma ordenança à Saul, para que ele destrua os amalequitas. Amaleque se fez inimigo de Israel quando este subia do Egito. O Senhor é claro quando diz ao rei de Israel:  "... fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo que tiver..." (v.3)
Saul arma emboscada contra os amalequitas, e prevalece contra eles. PORÉM, o rei mantém vivo Agague, rei de Amaleque e, não sendo o bastante, também conserva o melhor das ovelhas, vacas, cordeiros e tudo o que havia de melhor em Amaleque. Tão somente as coisas vis e desprezíveis …